Dia Internacional da Mulher – 8 de Março

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho. 

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas)

Objetivo da Data 

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história. Continue lendo

Compartilhar:

Otorrinolaringologia

Laringoscopia:

Este é um tipo de exame no qual as vias aéreas altas são analisadas através de um endoscópio. É algo bastante realizado, principalmente, para diagnóstico de doenças na faringe. Neste artigo vamos falar um pouco a respeito da laringoscopia considerando os seguintes tópicos:

laringoscopia-aparelhoO que é a laringoscopia?

É um exame realizado para a análise do nariz, da laringe, da faringe e da boca. Estes locais são observados com o uso de um pequeno tubo flexível que recebe o nome de endoscópio. Este aparelho consegue gerar imagens ampliadas do local e em alta resolução. Geralmente ele é composto por uma fonte de luz somada a um reprodutor de imagem. Esta imagem pode ser gerada via fibra óptica ou através de micro-câmeras, por exemplo.

Quando é indicado?

A laringoscopia é uma importante ajuda no diagnóstico de lesões orgânicas ou funcionais da cavidade oral, orofaringe, hipofaringe, laringe e, em especial, das cordas vocais. Assim, deve se submeter ao exame quem apresente:

  • Rouquidão ou disfonia por um longo período de tempo.
  • Tosse crônica ou com sangue.
  • Dificuldade ou dor para engolir.
  • Refluxo gastroesofágico.
  • Aftas frequentes.
  • Sensação de globus faríngeo (sensação comum e desconfortável de um caroço na garganta).
  • Pacientes com antecedentes familiares de câncer de cabeça e pescoço.
  • Tabagistas crônicos, etc.

Como é o procedimento?

Otorrinolaringología

O exame de laringoscopia geralmente é feito em ambulatório e dura de 5 a 10 minutos. Normalmente, o paciente está assentado e apenas pede-se a ele que ponha língua para fora. A laringe e a faringe devem receber previamente uma anestesia tópica, geralmente sob a forma de spray, após o que o laringoscópio é introduzido pela boca ou por via nasal, conforme o caso, e direcionado às regiões que se deseja examinar. O exame não causa maiores incômodos que os decorrentes da introdução do aparelho, mas alguns pacientes podem reagir com espirros, tosse, náuseas e vômitos. Outros podem ter uma maior reação ao exame necessitando, a critério médico, receber uma sedação venosa que os mantenha mais calmos e adormecidos, caso em que devem estar deitados em uma cama ou maca.

Quais são os preparativos?

O exame simples de laringoscopia não exige qualquer preparo prévio e permite ao paciente retornar às suas atividades logo após o procedimento. A laringoscopia pode ser feita em pacientes de qualquer idade, mas a laringoscopia feita pela boca geralmente precisa contar com alguma colaboração do paciente, o que só é possível a partir dos 12 ou 13 anos de idade. Em crianças menores o endoscópio flexível é mais aconselhável.

O que ocorre após o exame?

Quando se trata do exame simples, o paciente pode ser liberado em seguida, para retomar sua rotina diária. Quando recebe sedação, ele deve aguardar pelo menos por trinta minutos para que o efeito da medicação se desfaça. Nesses casos, deve contar com um acompanhante, uma vez que não deve dirigir ou realizar tarefas complexas nas doze horas que se seguem à sedação. Também há possibilidade, embora rara, da medicação da sedação causar agitação, amnésia prolongada ou sonolência excessiva. Nas horas que se seguem ao exame o paciente deve evitar tossir, espirrar ou assoar o nariz. Pode ocorrer uma rouquidão após o exame, rapidamente passageira.

Dra. Fabiola Nogueira Caldas

Compartilhar:

Cirurgia Torácica

O que é ?

Especialidade médica associada ao tratamento cirúrgico das doenças do tórax. São estruturas que fazem parte do tórax:

  • Traquéia, brônquios e pulmões, órgãos responsáveis pela respiração;
  • Parede torácica, formada pelas costelas e músculos;
  • Mediastino, espaço que fica entre os pulmões, onde se situam o timo, o esôfago e os gânglios linfáticos;
  • Pleura, membrana que cobre os pulmões;
  • Diafragma, músculo que separa o tórax do abdome.

O que o cirurgião torácico faz?

O cirurgião torácico é o médico especialista na realização de cirurgias destinadas ao tratamento de doenças do tórax. São procedimentos executados pelo cirurgião torácico:

Cirurgia tóracica

  • Broncoscopia (exame da traqueia e dos brônquios por
  • endoscopia);
  • Biópsia de pulmão;
  • Cirurgia do câncer de pulmão;
  • Drenagem da pleura;
  • Cirurgia da hiperidrose (suor excessivo nas mãos e/ou pés);
  • Videotoracoscopia.

A maioria das cirurgias acima pode ser feita por vídeo. O cirurgião torácico pode realizar desde cirurgias mais simples, como o tratamento da hiperidrose, até a retirada de tumores de pulmão, através da vídeocirurgia.

Equipe de cirurgia torácica do Pulmocenter:
Dr. Antero Gomes Neto
Dr. Israel Lopes Medeiros

 

Compartilhar:

Espirometria Funcional para Empresa

ESPIROMETRIA FUNCIONAL EMPRESA.

*American Thoracic Society
**Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
*** Norma Regulamentadora nº7 do Ministério do Traballho – MTE

Espirômetros computadorizados de alta tecnologia. Possui também aparelhos portáteis que podem ser levados para hospitais, empresas e até para a residência do paciente, se necessário.


Espirômetro da marca Koko – Especificações técnicas do aparelho acesse Aqui

 

koko-foto-pulmo

Sempre atualizados na ultima versão dos Préditos Pereira 2008 – Brasil – Confiabilidade em espirometria.

Os laudos dos exames são cuidadosamente analisados por médicos especialistas em função pulmonar.


Responsável pelo Laudos:

Dr. Marcelo Alcantara Holanda
Dr. Ricardo Coelho Reis
Compartilhar:

Programa Reabilitação Pulmonar PRPP

Reabi

O que é?

O programa de reabilitação pulmonar (PRP) tem como objetivos, principalmente, proporcionar a diminuição das incapacidades física e psicológica causadas pela doença respiratória através da melhoria da aptidão física, mental e consequentemente da performance dos pacientes, proporcionando a reintegração social máxima deste paciente com a menor incapacidade possível.

Compreende:

  • treinamento físico;
  • educação;
  • orientação dietética;
  • terapia ocupacional;
  • apoio psicológico.

E ainda suporte social a pacientes com doença pulmonar grave, caracterizada pela falta de ar, redução acentuada da função pulmonar e redução acentuada da capacidade para as atividades da vida diária.

Quais são os objetivos da reabilitação pulmonar?

  • diminuir e controlar os sintomas respiratórios;
  • aumentar a capacidade física;
  • melhorar a qualidade de vida;
  • reduzir o impacto psicológico da limitação física;
  • diminuir o número de exacerbações relacionadas à doença;
  • prolongar a vida.

Para Quem ?

Aplica-se o PRP a pacientes com insuficiência pulmonar crônica decorrente de:

  • DPOC (bronquite crônica e enfisema)
  • supurações pulmonares
  • fibroses pulmonares
  • asma grave
  • obeso com insuficiência pulmonar
  • idosos e outros

Por que o programa de reabilitação pulmonar é tão específico para a DPOC?

O paciente com DPOC apresenta limitação ventilatória, ao contrário dos cardiopatas que apresentam limitação cardíaca. O treinamento adequado é com uma carga que mantenha o indivíduo próximo do seu limiar anaeróbio. Pela limitação ventilatória que os pacientes com DPOC apresentam, o limiar anaeróbio é mais próximo do exercício máximo, ao contrário dos indivíduos normais em que o limiar anaeróbio é em torno de 50-60% do seu máximo. Daí a indicação de uma carga alta para o treinamento dos pacientes com DPOC.

Quais são os ganhos psicológicos do paciente com a reabilitação pulmonar?

Entre os mais importantes destacam-se:

  • diminuição da ansiedade;
  • diminuição da depressão;
  • melhora do autoconceito;
  • melhora geral na qualidade de vida;
  • melhora no desempenho sexual;
  • superação do sentimento de incapacidade geral;
  • aumento da motivação, da resistência e da determinação
Compartilhar: