Pneumologia

 

O que é?

DSC00018

Pneumologia é a especialidade médica a qual é responsável pelo tratamento das patologias das vias aéreas inferiores. O profissional habilitado para atuar na mesma é denominado “pneumologista”. As patologias geralmente são causadas por:

  • bactérias
  • fungos
  • vírus
  • poluição ambiental da rua ou do ambiente de trabalho
  • alergia a substâncias inalantes
  • alterações auto-imunes
  • autopoluição tabágica (fumo)
  • desenvolvimento de câncer e repercussões pulmonares de outras doenças do corpo

 O que o Pneumologista/Alergista faz?

DSC00031

É o profissional que diagnostica, trata e acompanha pacientes com patologias pulmonares e respiratórias contraídas de diversas formas.Ele pode realizar:

  • consulta médica
  • realiza teste de função pulmonar
  • teste alérgico aos inalantes
  • estabelece diagnóstico das doenças respiratórias

Programa Reabilitação Pulmonar PRPP

Reabi

O que é?

O programa de reabilitação pulmonar (PRP) tem como objetivos, principalmente, proporcionar a diminuição das incapacidades física e psicológica causadas pela doença respiratória através da melhoria da aptidão física, mental e consequentemente da performance dos pacientes, proporcionando a reintegração social máxima deste paciente com a menor incapacidade possível.

Compreende:

  • treinamento físico;
  • educação;
  • orientação dietética;
  • terapia ocupacional;
  • apoio psicológico.

E ainda suporte social a pacientes com doença pulmonar grave, caracterizada pela falta de ar, redução acentuada da função pulmonar e redução acentuada da capacidade para as atividades da vida diária.

Quais são os objetivos da reabilitação pulmonar?

  • diminuir e controlar os sintomas respiratórios;
  • aumentar a capacidade física;
  • melhorar a qualidade de vida;
  • reduzir o impacto psicológico da limitação física;
  • diminuir o número de exacerbações relacionadas à doença;
  • prolongar a vida.

Para Quem ?

Aplica-se o PRP a pacientes com insuficiência pulmonar crônica decorrente de:

  • DPOC (bronquite crônica e enfisema)
  • supurações pulmonares
  • fibroses pulmonares
  • asma grave
  • obeso com insuficiência pulmonar
  • idosos e outros

Por que o programa de reabilitação pulmonar é tão específico para a DPOC?

O paciente com DPOC apresenta limitação ventilatória, ao contrário dos cardiopatas que apresentam limitação cardíaca. O treinamento adequado é com uma carga que mantenha o indivíduo próximo do seu limiar anaeróbio. Pela limitação ventilatória que os pacientes com DPOC apresentam, o limiar anaeróbio é mais próximo do exercício máximo, ao contrário dos indivíduos normais em que o limiar anaeróbio é em torno de 50-60% do seu máximo. Daí a indicação de uma carga alta para o treinamento dos pacientes com DPOC.

Quais são os ganhos psicológicos do paciente com a reabilitação pulmonar?

Entre os mais importantes destacam-se:

  • diminuição da ansiedade;
  • diminuição da depressão;
  • melhora do autoconceito;
  • melhora geral na qualidade de vida;
  • melhora no desempenho sexual;
  • superação do sentimento de incapacidade geral;
  • aumento da motivação, da resistência e da determinação

Vacina Hipossensibilizante

O que é?

Imunoterapia, também chamada de vacina contra alergia, é a aplicação gradualmente crescente de alérgenos específicos a pacientes com elevada concentração de IgE, que é um anti-corpo contra tais alérgenos, ou que tiveram o teste alérgico positivo.

A Imunoterapia reduz a gravidade e freqüência das crises de rinite e asma, é feita durante um longo período de tempo e é o único tratamento natural para asma e rinite. É segura, menos dispendiosa do que os tratamentos medicamentosos e recebeu a recomendação de uso no tratamento dessas doenças pela Organização Mundial de Saúde-OMS.

O que é vacina hipossensibilizante?

É um extrato de antígenos que conhecidamente provoca alergia.

Eles são diluídos em solução salina com concentrações apropriadas para cada paciente, de acordo com o teste alérgico. Então elas são aplicadas em área não dolorosa do braço e são capazes de reverter o estado de alergia. Por exemplo, se o paciente for alérgico à poeira de casa, o extrato que se usará no preparo de sua vacina será o de poeira de casa.

Como qualquer vacina, as vacinas de alérgenos são misturas de proteínas com a finalidade de estabelecer uma resposta imunológica protetiva no paciente receptor.

Os alérgenos não possuem características estruturais em comum que os distingam de outras proteínas, portanto, eles são definidos pela capacidade de provocar reações alérgicas em indivíduos susceptíveis. Entretanto, a maioria dos pacientes são alérgicos (possuem IgE específica) a um número limitado de alérgenos principais (maiores). É comum observar que, quanto maior for o número de pacientes investigados, maior será o número de alérgenos identificados. Dessa forma, qualquer proteína presente na fonte de material alergênico pode agir como um alérgeno.

Um aspecto importante de uma vacina de alérgenos de alta qualidade é a complexidade da sua composição. A padronização é outro ponto crítico e, por razões de segurança, assegurar uma composição e potência reproduzíveis é de fundamental importância.

A imunoterapia com vacinas de alérgenos é o único tratamento causal das alergias mediadas pela IgE. Ela combate a doença, ao contrário dos medicamentos que apenas aliviam os sintomas.

O extrato usado no preparo de vacinas hipossensibilizantes do Pulmocenter são originários de Ifidesa Aristegui – extratos protéicos padronizados, com representação:

Rua: Pedro de Toledo, 980 – Cj. 56; São Paulo – SP – CEP 0439-002

Espirometria

Espirometria é o procedimento que mede a função dos pulmões. É também conhecida como “exame do sopro”.

Não é um procedimento invasivo e ajuda no diagnóstico de diversas enfermidades respiratórias e outras que tenham repercussão na sua respiração. É um exame relativamente simples de ser realizado. Continue lendo

TCPE

O que é TCPE?

Teste Cárdio-pulmonar de esforço – primeiro estágio

É  um teste realizado com o paciente para avaliar a “ performance”   do desempenho do caminhar por seis minutos. Esse caminhar é monitorado quanto a distância percorrida, o grau de dispnéia (o grau de dificuldade respiratória)  antes, durante e depois da caminhada, freqüência respiratória, pulso, pressão arterial, níveis de oxigênio no sangue através da oximetria de pulso.

Mede-se a distância percorrida e compara-se com a distância padrão prevista que o paciente deveria percorrer em seis minutos se estivesse com o sistema respiratório normal.

A porcentagem da distância prevista a ser percorrida vai indicar o grau de capacidade física para a atividade física do caminhar.

Usa-se fazer o TCPE em pacientes com suspeita de DPOC, ASMA, doença pulmonar que comprometa a capacidade para o exercício – (Doença pulmonar difusa, fibroses pulmonares, obesidade).

 foto2

foto4